Hector Berlioz (1803-1869)

As suas obras mais conhecidas são a Sinfonia Fantástica, Harold em Itália, Romeu e Julieta, a Sinfonia Fúnebre e Triunfal, a Grande Missa dos Mortos, um Te Deum e A Infância de Cristo; algumas óperas como Benvenuto Cellini, Beatrice e Benedito e Os Troianos; diversas canções; e finalmente a Danação de Fausto.

Berlioz nasceu a 11 de Dezembro de 1803 em La Côte-Saint-André. Felizmente para os seus futuros doentes e para os que se deleitam com a sua música, assistiu à representação de Ifigénia em Táurida, de Gluck, e tomou a decisão de abandonar os seus estudos de medicina e dedicar-se à música.

O êxito que alcançou com uma missa na Igreja de S. Roque, em Paris, leva o seu pai a finalmente apoiá-lo nos seus estudos de composição. Ao contrário da maioria dos compositores, Berlioz não será nem um virtuoso nem um bom executante de nenhum instrumento. A tentativa falhada de obter um primeiro lugar no Prémio de Roma levam-no ao quase desespero. A sua cantata Morte de Cleópatra ficou-se por um segundo lugar.

A tampa da bela irlandesa Harriet Smithon e a influência que sobre ele exerciam a obra de Goethe e de Shakespeare levam-no à criação da Sinfonia Fantástica, que foi estreada em Dezembro de 1830. O vai e vem da inspiração e da criação conjuntamente com os seus sucessos e insucessos não permitem uma cronologia simplificada das suas obras.

Harold em Itália, feita por sugestão de Paganini, foi um êxito. No entanto a obra acabou por não ser feita para violino, mas antes para viola. Em 1838 a sua ópera cómica Benvenuto Cellini foi um desastre. A sua teimosia já o tinha levado a esposar Harriet em 1833. Liszt foi testemunha do casamento. A bela fez-lhe a vida negra.

Em 1837 é tocado nos Invalides o seu grandioso Requiem. No final de 1838 recebe de Paganini uma doação razoável, em valor de hoje à volta de 2500 contos. Com esse dinheiro dedica-se à sua obra Romeu e Julieta. Compõe também a Sinfonia Fúnebre e Triunfal.

A Danação de Fausto, em Paris, foi um fiasco. Afinal era bem mais apreciado fora de França que na sua terra natal. Os credores também não o tinham em boa conta. A morte de seu pai leva-o a compor a Marcha Fúnebre para a última Ceia de Hamlet. Desejoso de impressionar Napoleão III escreveu um Te Deum. E será a seguir que acabará a extraordinária obra A Infância de Cristo.

Talvez Liszt tenha tido influência no seu projecto de Os Troianos, inspirado na Eneida de Vergílio. O insucesso em Paris das suas óperas estava-lhe reservado. E no entanto, em Baden-Baden, em 1862, e em Weimar, em 1863, a sua ópera cómica, Beatriz e Benedito, tiveram grande sucesso. Paris fechava-lhe as portas a Os Troianos. A Ópera apresentava Wagner, o seu eleito rival. O insucesso de Tannhauser foi festejado por Berlioz. Os Troianos foram representados integralmente apenas em 1963. Hoje, já fazem parte do repertório considerado normal das diferentes companhias de ópera.

A sua imaginação, extravagância e subtileza, e o apelo ao sonho e ao imaginário, aliados a uma revolução orquestral, fazem da sua música um prazer viciante. Berlioz teve um reconhecimento imediato da sua obra escrita, sobre composição e orquestração. É conhecido que ao nível dos sopros foi um inovador ao trazer para as orquestras as inovações que a revolução industrial permitia. Durante muito tempo apenas os ingleses o não esqueceram. E foi também graças a um inglês, Sir Colin Davis e à London Symphony Orchestra, que a sua obra renasceu. Em França, Maurice Béjart criou um bailado com a sua música de Romeu e Julieta. O seu arranjo da obra de Gluck, Orfeu e Euridice é hoje também executado.

Em 25 de Junho de 1998, Colin Davis e a Orquestra Real do Concertgebouw de Amsterdão, executaram no Coliseu dos Recreios a Abertura de Benvenuto Cellini, e no dia seguinte A Danação de Faust, com Enkelejda, Stuart Neil, Kristinn Sigmundsson, Stephen Milling e o Coro Gulbenkian. Ainda em 1998 Os Troianos foram representados no S. Carlos. Em 22 de Março de 1999 Sir Simon Rattle com a Orquestra Sinfónica da Cidade de Birmingham deverá executar a Abertura de Les Francs-Juges, e em 13 de Maio, James Levine com a Orquestra do Metropolitan de Nova Iorque deverá executar a Sinfonia Fantástica, no Coliseu dos Recreios.


Páginas de informação valiosa sobre o compositor:

The Hector Berlioz Page

Hector Berlioz

Les Nuits d'Été e Canções várias

Danação de Faust, letra e informação (em PDF)

Página da Naxos


Retorno à página da música